Brasil tem 24,5 milhões de pessoas com alguma deficiência

O Censo 2000 indica que cerca de 24,5 milhões de pessoas (14,5% da população) têm algum tipo de incapacidade para ver, ouvir, mover-se ou alguma deficiência física e mental. Essa é a segunda vez (a primeira foi no censo de 1991) que o IBGE calcula o número de deficientes. Mas não é possível comparar com os dados de 91 porque em 2000 o instituto mudou a metodologia e decidiu ampliar o conceito de deficiência. O Brasil apresenta números semelhantes com países que usam a mesma metodologia, como os EUA (15%), Austrália (18%), por exemplo.Das deficiência declaradas, a mais citada é a visual (48%), seguida dos problemas motores (22%), auditivos (16,7%), mentais (8,3%) e físicos (4,1%). Cerca de 16,5 milhões de pessoas que afirmam ter algum problema para ver. Dessas, 160 mil não conseguem enxergar. As mulheres são as mais afetadas com a dificuldade para ver, e são maioria nas dificuldades motoras. Os homens sofrem mais de distúrbios mentais, físicos e auditivos.O censo revelou ainda que os dados de deficiência variam de acordo com a região do País. Norte e Nordeste tem as maiores proporções (16,1% e 16,7%) de pessoas que afirmaram ter, pelo menos, uma das deficiências investigadas. "Essa variação ocorre porque o que é deficiência para um grupo pode não ser para outro", explica a pesquisadora do IBGE Alicia Bercovich.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.