Brasil Telecom e Kroll podem ser processadas no Rio

Já na mira da Advocacia Geral da União (AGU)por causa do esquema de espionagem que atingiu até autoridades do governo Lula, a Brasil Telecom e funcionários da multinacional de investigações Kroll poderão ser processados também pelo judiciário fluminense.Desembargadores e servidores do Tribunal de Justiça do Rio foram seguidos por espiões da empresa americana, contratada pelacompanhia telefônica para investigar a fraude na distribuição de processos. O objetivo era conseguir privilegiar o Opportunity(banco controlador da Brasil Telecom) em disputas judiciais com os fundos de pensão e a Telecom Italia.P presidente do TJ do Rio, Miguel Pachá negou que tenha sido tomada qualquer providência para proteger os desembargadores e disse que, até o dia1º de agosto, os desembargadores vão receber uma cópia do relatório e terão que prestar esclarecimentos à comissão. Ainda pormeio de sua assessoria, Pachá afirmou que qualquer sistema de informática é passível de falhas, mas ressaltou que o problema,no caso do tribunal, não é o software, mas a forma como ele é operado. "O sistema é seguro. Ele só falha se for usado porpessoas de desonestas", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.