Brasil retira candidatura de Vannuchi para vaga na OEA

A decisão foi tomada depois da medida cautelar imposta pela OEA pedindo a paralisação das obras da usina hidrelétrica de Belo Monte

Lisandra Paraguassu, de O Estado de S. Paulo

12 de abril de 2011 | 20h53

BRASÍLIA - O Brasil retirou a candidatura do ex-ministro da Secretaria Nacional de Direitos Humanos Paulo Vannuchi a uma vaga na Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA). A decisão foi tomada depois da medida cautelar imposta pela OEA pedindo a paralisação das obras da usina hidrelétrica de Belo Monte por conta das reclamações das comunidades indígenas da região.

A retirada da candidatura é mais uma resposta do governo brasileiro ao que considerou uma medida infundada e uma interferência descabida em assuntos do País. À época, o Itamaraty divulgou uma nota criticando duramente a medida adotada pela OEA, afirmando que via com "perplexidade" a solicitação do órgão e as considerava "precipitadas e injustificáveis".

Vannuchi havia sido indicado para substituir o também brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro, cujo mandato expira no final deste ano. A avaliação do Itamaraty é que eram ótimas as chances do ex-ministro ser escolhido nas eleições que acontecem em junho. O governo estuda agora indicar Vannuchi para algum outro órgão internacional, mas não há nenhuma decisão a respeito.

Tudo o que sabemos sobre:
OEAcandidaturaPaulo Vannuchi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.