Brasil quer ampliar cooperação com Chile, diz Dilma

A presidente Dilma Rousseff ressaltou na manhã deste sábado que o Brasil quer ampliar, "sem limites", a relação bilateral com o Chile. Em seu discurso após reunião pela manhã com o presidente do país latino-americano, Sebastían Piñera, em Santiago, Dilma disse que, mesmo diante de dificuldades, os dois países mantiveram a relação comercial, que é muito estratégica para ambos. "E por isso, fica claro que podemos mais. Os investimentos que as empresas chilenas realizam no Brasil são muito bem-vindos. Temos forte potencial comercial e ao mesmo tempo um desafio porque não temos fronteiras. Mas temos grande possibilidade de integração. Estamos em dois oceanos e o corredor interoceânico liga elementos fundamentais no mundo do comércio do Atlântico e Pacífico", declarou a presidente.

SUZANA INHESTA, Agência Estado

26 de janeiro de 2013 | 12h13

Antes de começar o discurso, Brasil e Chile assinaram acordos bilaterais nas áreas de cultura, educação e cooperação científica na Antártida, com a presença dos ministros de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, e das Relações Exteriores, Antonio Patriota.

O acordo científico na Antártica prevê, dentre outros itens, a utilização da base chilena pelo Brasil, já que a estação nacional foi acometida por um incêndio no ano passado. Outro acordo assinado neste sábado foi o programa executivo de intercâmbio cultural 2013-2015, com atividades culturais recíprocas.

"Não há limites nessa cooperação. O Brasil está pronto para cooperar com o Chile. Estamos inteiramente dispostos a efetivar todos os passos para construir uma relação mais ampla, mais forte. Não só econômica, mas cultural, científica", ressaltou Dilma.

Tudo o que sabemos sobre:
ChileBrasilacordoscooperação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.