Brasil pode bloquear antecipação da Alca

O Brasil está preparadopara bloquear sozinho qualquer tentativa de antecipação da Área de Livre Comércio dasAméricas (Alca), ainda que tenha de se opor aos outros 33 países do continente.?Nóspodemos bloquear o consenso individualmente?, disse nesta quinta-feira o minstro das RelaçõesExteriores, Celso Lafer, à agência de notícias Associated Press.É a primeiravez que o governo admite que poderá bloquear individualmente a alteração nocalendário original da Alca.Até agora, o governo brasileiro, apesar de defender a manutenção do calendário original,afirmava que não se oporia a uma alteração no calendário de negociações.A condiçãopara isso, porém, seria que os Estados Unidos tivessem autorização do Congresso paranegociar acordos comerciais sem passar por emendas do Legislativo, conhecido como?fast-track?, e respeitem o princípio conhecido como ?singleundertaking?. De acordocom essa regra, base dos acordos da Alca, nada entrará em vigor, até que todos ospontos da negociação sejam consenso.No entanto, nesta quinta-feira, o ministro disse que o Brasil não vai concordar com qualqueralteração no calendário. E o Brasil tem poderes para isso, já que qualquer mudança noque foi previamente acordado necessita de consenso.Os 34 chefes de Estado docontinente acertaram a criação de uma área de livre comércio do Alasca à Patagônia,em 1994, em Miami, no primeiro encontro de Cúpula das Américas.Em 1998, ospresidentes confirmaram o compromisso em Santiago, no Chile, na Segunda Cúpula dasAméricas.Na ocasião, foram definidas as bases do acordo e estabelecido o ano de2005 como limite para o fim das negociações. Também ficou acordado que a Alca entraria em vigor a partir dessa data.O Chile, porém, sugeriu, no fim do ano passado, que o fim das negociações seja antecipado para 2003. Recebeu apoio da Argentina, do Uruguai e a simpatia do Canadá.Os Estados Unidos pressionam para antecipar a Alca e acusam o Brasil de atrasar oprocesso, mas ainda não conseguiram consenso no Congresso americano, pressionadopelos sindicatos, que resistem à criação da Alca.O assunto deverá ser o principal tema da terceira Cúpula das Américas, que ocorreentre 20 e 22 de abril em Québec, no Canadá. A posição que sairá do encontro deQuebec com relação ao cronograma da Alca poderá ser uma surpresa.Dos 34 chefes deEstado que acertaram a criação da Alca em 1994, apenas o presidente Fernando HenriqueCardoso e o primeiro ministro do Canadá, Jean Chrétien, permanecem no cargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.