Brasil perdoa dívida de Cabo Verde, estimada em US$ 3 milhões

Mais um país vai ter a dívida perdoada pelo Brasil. Depois de uma maratona deencontros e reuniões sob forte calor, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva concordou em perdoar a dívida de Cabo Verde,estimada entre US$ 2,5 milhões e US$ 3 milhões. Ontem, Lula renegociou a dívida de US$ 36 milhões do Gabão e, no iníciodo mês, abriu mão de US$ 100 milhões para a Bolívia. O arquipélago de Cabo Verde, ex-colônia portuguesa na África, foi a últimaescala da viagem de quatro dias do presidente à África. Antes, ele esteve em São Tomé e Príncipe e no Gabão.Lula defendeu a estratégia do seu governo de buscarmercados alternativos, especialmente países de economias fracas. "Você não pode ficar dependendo apenas de um cliente",disse. "Quanto mais clientes tiver, menos vulnerável você será durante uma crise." Ele assegurou que vai lutar por um acordo depreferências comerciais do Mercosul, Comunidade Andina e países africanos de língua portuguesa."Vamos continuar com os olhos voltados aos Estados Unidos e à Comunidade Européia, entretanto, isso não nos impede deolhar para a África", disse. "O comércio exterior depende sobretudo de ousadia e coragem". "Mão de duas vias" - Lula disse que o Brasil não pretende apenas exportar para a África, mas ajudar no desenvolvimento comercialdos países do continente. "O comércio exterior é uma mão de duas vias", disse o presidente, para risos de alguns presentes.Lula ressaltou que a ajuda do Brasil à África não deve ser apenas financeira, mas de cooperação em áreas como agricultura,saúde, educação e pequenos negócios. Ao final do seminário empresarial, o presidente foi aplaudido de pé.Antes de anunciar que aceitaria perdoar a dívida de Cabo Verde, Lula se esforçou para conseguir cumprir a agenda em Praia,capital do pequeno país de 480 mil habitantes, onde todas as autoridades queriam falar com ele. Logo pela manhã, o presidentebrasileiro se encontrou com o líder da oposição, Agostinho Lopes, e participou de um seminário empresarial com oprimeiro-ministro, José Maria Pereira Neves. Depois, tirou fotos e ganhou medalha na câmara municipal da cidade, fez discursona Assembleia Nacional, doou 11 computadores para a Biblioteca Nacional e, por último, assinou um comunicado no Palácio doGoverno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.