Brasil pelo menos não tem terrorismo, diz Marta em Madri

Ministra do Turismo se irrita com pergunta sobre violência em feira na capital espanhola.

Anelise Infante, BBC

31 de janeiro de 2008 | 10h30

A ministra do Turismo, Marta Suplicy, se irritou nesta quarta-feira em Madri na Feira Internacional de Turismo quando foi questionada pelos europeus sobre a insegurança para os visitantes estrangeiros. "O Brasil pelo menos não tem terrorismo", respondeu.Em entrevista coletiva, a ministra disse que, se tivesse medo, não viajaria à Europa e sugeriu que a Espanha, depois dos atentados ocorridos no país, não pode ser considerada um destino mais seguro do que o Brasil."Aqui tem terrorismo, cataclismos", afirmou Marta. "Um brasileiro morreu no metrô de Londres.""O Brasil não é um país mais violento do que os outros", acrescentou. "O que acontece no Brasil, principalmente no Rio de Janeiro, vira imediatamente manchete e uma tragédia.""Mas a violência pode acontecer em qualquer lugar. Você caminha pelas ruas do mundo inteiro e pode ser assaltado", completou a ministra. "O Brasil vive no imaginário como essa coisa enorme de insegurança."A reação de Marta provocou silêncio na sala de imprensa da Feira Internacional de Turismo, onde o governo brasileiro apresentou o Plano Aquarela, uma estratégia de marketing para promover a imagem do país no exterior.Febre amarelaQuestionada sobre os casos de febre amarela registrados no Brasil, principalmente depois que um espanhol foi contaminado e morreu em Goiás, no último dia 12, a ministra disse que não há alarmismo e que o assunto não terá impacto sobre o Carnaval.De acordo com Marta, o governo fez uma advertência à Organização Mundial da Saúde (OMS) para recomendar a vacina com dez dias de antecedência a todos os turistas que viajam ao país."Em toda a costa, só há duas pequenas partes onde houve suspeitas (Espírito Santo e Bahia), mas sem nenhum episódio da doença", disse. "Eu mesma passei uns dias no Mato Grosso do Sul", acrescentou. "Se você tem a vacina, é como ir a qualquer lugar."Segundo a ministra, a imagem do Brasil no exterior não foi atingida pela morte do turista espanhol e ninguém notou cancelamentos de pacotes para o Carnaval.Marta sugeriu ainda que o caos aéreo deixou de ser um problema ao afirmar que a "dificuldade, que durou quatro meses, já acabou". De acordo com a ministra, mesmo com os problemas do setor, o Brasil recebeu US$ 4,9 bilhões em divisas com a chegada de turistas aos aeroportos brasileiros.ImagemA ministra também ressaltou que a imagem do Brasil no exterior melhorou desde que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assumiu o governo."Ninguém mais pensa que a capital do Brasil é Buenos Aires", disse. "A imagem é muito melhor, muito mais simpática."Marta definiu o Brasil como o "turismo internacional do século 21" por causa da oferta de paisagens naturais. Segundo a ministra, "os europeus podem criar muitos monumentos, mas lugares de beleza natural como Foz do Iguaçu, ninguém pode inventar".Em comparação com a Espanha, que é o segundo destino mais visitado do mundo, atrás da França, o Brasil ainda está em desvantagem. Os espanhóis têm 12% do PIB vindos do turismo, enquanto o índice brasileiro alcança apenas 2,6%.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.