Brasil pede segurança a consulado na Guiana Francesa

O governo brasileiro pediu à chancelaria francesa e ao governo local da Guiana Francesa a garantia de segurança no Consulado Geral em Caiena, cercado por manifestantes desde o último domingo (03). De acordo com o Itamaraty, foram dadas garantias de que seriam mantidos a segurança dos funcionários e o acesso ao prédio, para que o atendimento local possa ser feito.

LISANDRA PARAGUASSU, Agência Estado

04 de fevereiro de 2013 | 18h41

Os protestos, no entanto, devem continuar. A polícia local deverá cercar o consulado, mas não vai dispersar os manifestantes, que reclamam, entre outros pontos, a contenção da pesca ilegal por estrangeiros nas águas da Guiana, feita basicamente por brasileiros.

Segundo o Itamaraty, existe uma comissão binacional com a França e com a União Europeia para discutir o cumprimento das normas internacionais de pesca. Também há um grupo de trabalho composto por vários órgãos do governo para tentar conter a pesca ilegal na região.

O centro das manifestações, contudo, vai além das reclamações contra o Brasil. As reivindicações principais são a criação de dois fundos, um para desenvolvimento da pesca local e outro de 3 milhões de euros, para enfrentamento da crise econômica.

Tudo o que sabemos sobre:
Guianaprotestoconsulado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.