Brasil pede apuração rigorosa de morte nos EUA

Família afirma que Edmar Araújo era epilético e não teve acesso a remédioso.

BBC Brasil, BBC

15 de agosto de 2007 | 17h19

O Itamaraty divulgou nesta quarta-feira uma nota em que pede às autoridades americanas "rigorosa apuração" das circunstâncias que levaram à morte do brasileiro Edmar Alves Araújo nos Estados Unidos no início deste mês.Araújo, de 34 anos, estava sob custódia das autoridades de imigração americanas no Estado de Rhode Island (nordeste dos Estados Unidos) quando passou mal e morreu, no dia 7.A família do brasileiro diz que ele era epilético e que os americanos não permitiram que ele tivesse acesso a remédios.Por sua vez, as autoridades dos Estados Unidos negam que o brasileiro tenha solicitado acesso a qualquer medicação.Leia abaixo a íntegra da nota do Itamaraty:"O Brasil está solicitando ao governo norte-americano rigorosa apuração dos fatos que levaram à morte do cidadão brasileiro Edmar Alves Araújo, de 34 anos, que se encontrava em custódia do Escritório de Detenção e Remoção do Departamento de Imigração de Providence, Estado de Rhode Island, Estados Unidos.Autoridades daquele Escritório informaram que, no dia 7 de agosto, Edmar Araújo passou mal, foi encaminhado a hospital, mas veio a falecer por causa ignorada. Horas antes o brasileiro havia sido detido por infração de trânsito e levado a repartição policial, de onde fora transferido após constatação de que se encontrava no país sem documentação regular e tinha contra si mandado de deportação.Além de determinar gestões da Embaixada do Brasil em Washington para assegurar o empenho norte-americano na mais plena elucidação do caso, o Itamaraty instruiu o Consulado do Brasil em Boston - sob cuja jurisdição o incidente ocorreu - a dar toda assistência consular à família de Edmar Araujo e a continuar acompanhando atentamente o caso."BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.