Brasil nega construção de muro na fronteira com Paraguai

O Brasil assegurou na segunda-feira ao Paraguai que não pretende construir um muro na fronteira para combater o contrabando, e que as obras projetadas visam apenas a melhorar a infra-estrutura da Ponte da Amizade, que liga Foz do Iguaçu (PR) a Ciudad del Este. "Não há qualquer intenção de se construir um muro para separar os dois países, mas sim de facilitar as relações comerciais legítimas e o fluxo turístico", informou a Receita Federal em um comunicado. O governo paraguaio havia dito anteriormente que estava recolhendo informações sobre o suposto plano brasileiro de construir uma muralha na cabeceira brasileira da ponte. "Solicitamos esclarecimentos e não está prevista a construção de nenhum muro. Só são melhorias que têm de ser feitas na ponte", disse a uma rádio de Assunção o chanceler paraguaio, Rubén Ramírez. O rumor de que o Brasil construiria um muro de aço com mais de um quilômetro surgiu na imprensa brasileira e teve ampla repercussão no Paraguai. O objetivo seria conter o comércio ilegal na Tríplice Fronteira. Ramírez foi ao Rio de Janeiro para se reunir com o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, exclusivamente para tratar desse tema, disse à Reuters uma fonte da chancelaria."Não se trata de maneira nenhuma de um muro, se trata de uma melhoria na infra-estrutura da segurança", reiterou Ramírez. A possibilidade de que fosse construído um muro provocou protestos imediatos de empresários locais, que voltaram a questionar a permanência do Paraguai no Mercosul. O governo local, que há meses reivindica maior atenção das economias maiores do bloco, disse que o eventual muro atentaria contra o espírito integracionista do acordo regional. Os "sacoleiros" que compram na região costumam burlar o controle alfandegário brasileiro jogando suas mercadorias no rio Paraná e recolhendo os pacotes na margem brasileira. O Brasil apreendeu em janeiro e fevereiro o equivalente a US$ 5,7 milhões na região, 36% a mais que no mesmo período do ano passado, disseram fontes da Receita Federal à imprensa paraguaia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.