Brasil joga luz sobre seus anos sombrios, diz 'The Guardian'

Livro é primeiro relato oficial sobre atrocidades durante o regime militar, observa jornal.

BBC Brasil, BBC

31 de agosto de 2007 | 05h52

Reportagem publicada nesta sexta-feira pelo diário britânico The Guardian afirma que o Brasil "joga luz sobre seus anos sombrios" da ditadura militar (1964-1985) com a publicação nesta semana do livro Direito à Memória e à Verdade, primeiro relato oficial sobre as atrocidades cometidas durante o regime."O livro de 500 páginas foi lançado na quarta-feira após 11 anos de pesquisas. Ele relata torturas sistemáticas, estupros e o desaparecimento de cerca de 500 ativistas de esquerda e inclui fotos de corpos e de vítimas torturadas", diz o jornal.A reportagem comenta que o lançamento "coincide com o 28º aniversário da Lei de Anistia brasileira, de 1979, que perdoou tanto os dissidentes de esquerda quanto os militares".O jornal destaca o comentário feito pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante o lançamento do livro, de que o governo está trabalhando para "virar definitivamente essa página sombria da nossa história"."Os grupos de direitos humanos dizem que ao menos 485 ativistas políticos foram mortos ou seqüestrados e nunca mais foram vistos", diz o texto. "Acredita-se que alguns estão enterrados em cemitérios clandestinos, apesar de o livro não conter detalhes específicos de suas localizações."A reportagem comenta ainda que "os ativistas dizem que o regime militar brasileiro criou a idéia do ''desaparecido'' e exportou os métodos de tortura pela América Latina".O jornal relata que Lula prometeu divulgar mais documentos sobre o período "em busca de reconciliação", mas que afirmou que grande parte dos documentos já foram tornados públicos.Porém Cecilia Coimbra, fundadora da organização Tortura Nunca Mais, critica a afirmação de que a maioria dos documentos sobre o período já haviam sido divulgados. "Onde (eles morreram)? Como? Quando? Quem os matou? Estas questões permanecem sem resposta", questionou ela, no relato do Guardian.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.