Brasil inicia campanha em defesa de gays

O Brasil inicia nesta segunda-feira, em Genebra, uma batalha diplomática para impedir que governos discriminem pessoas com base em sua orientação sexual. O tema, ao lado do terrorismo e da guerra no Iraque, será um dos mais polêmicos da agenda da Comissão de Direitos Humanos da ONU, que abre seus debates anuais hoje.A proposta apresentada pelo Brasil terá a forte oposição dos países islâmicos e do Vaticano. O texto da proposta brasileira é bastante claro: pede que nenhuma ação discriminatória conduzida por um governo seja baseada na orientação sexual de uma pessoa. O texto, que será votado em abril, ainda pede que a ONU dê maior atenção ao problema e que os direitos de todos, seja qual for sua orientação sexual, sejam respeitados.Essas três sugestões, porém, bastaram para que a diplomacia brasileira sofresse duros ataques por parte de vários países. No ano passado, na primeira vez em que o Brasil tentou levar o tema ao debate na Comissão da ONU, os países muçulmanos impediram a votação da resolução, o que obrigou o tema a ser incluído na agenda deste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.