Brasil faz acordo com Unesco para estudar violência nas escolas

A Unesco, órgão da ONU para educação e cultura, escolheu o Brasil para sediar o seu primeiro Observatório sobre Violência nas Escolas do mundo, uma instituição que reunirá professores e pesquisadores com o objetivo de analisar e sugerir soluções para o problema.Inaugurada na semana passada em Brasília, a instituição seguirá os moldes do Observatório Internacional de Violência Escolar, com sede na Universidade de Bordeaux, na França. No Brasil, o observatório funciona em parceria com a Universidade Católica de Brasília (UCB).Nesta sexta-feira, o representante da Unesco no Brasil, Jorge Werthein, reuniu-se em São Paulo com a secretária municipal de Educação, Eny Maia, para conhecer iniciativas públicas de combate à violência nas escolas. Uma das idéias do projeto é, segundo Werthein, convidar diretores que conseguiram lidar com a violência em suas escolas para contar a experiência pelo País.A secretária apresentou iniciativas, como a abertura de escolas nos fins de semana e um projeto de formação de diretores para lidar com situações de conflito. A visita de Werthein teve o objetivo de envolver escolas de São Paulo na iniciativa.Além de tentar multiplicar soluções, o observatório promoverá capacitação de professores para lidar com a violência escolar e conduzir pesquisas e intercâmbio com a instituição francesa. "A idéia é provocar o interesse de outros países da América Latina que têm problemas semelhantes", disse Werthein. A Unesco e a UBC estão aplicando R$ 100 mil, cada uma, na estruturação do observatório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.