Brasil fará na ONU dura crítica à política americana

O Brasil fará amanhã na sede das Nações Unidas uma dura crítica contra a política norte-americana de colocar a luta contra o terrorismo como a prioridade da agenda política internacional. A mensagem brasileira será dada pelo secretário de Direitos Humanos, Paulo Sérgio Pinheiro, que fará um discurso na Comissão de Direitos Humanos da ONU. Apesar de não mencionar explicitamente os Estados Unidos em seu discurso, Pinheiro defenderá que a luta contra o terrorismo não pode tomar o espaço de outros temas internacionais, como o desenvolvimento e o combate à pobreza. "Para o Brasil e para os demais países latino-americanos seria um desastre colocar esses temas em segundo plano", afirmou Pinheiro ao Estado. Desde os atentados terroristas nos Estados Unidos, há seis meses, a Casa Branca tem pressionado a comunidade internacional a focar todos os seus esforços para combater o problema. Mas muitos governos, desde então, têm tentado ressaltar que, em algumas situações, as principais ameaças não são derivadas do terrorismo, mas da falta de desenvolvimento e de violações de direitos humanos. "A luta contra o terrorismo não pode colocar os direitos humanos como um tema secundário", afirma o secretário. Outra crítica de Pinheiro é de que, desde os atentados, alguns países estratégicos para os interesses norte-americanos têm sido autorizado a violar direitos humanos no combate ao terrorismo. A crítica de Paulo Sérgio Pinheiro deve ser apoiada por outros países, que estão preocupados com o comportamento dos Estados Unidos em justificar todas suas ações como necessárias diante da ameaça terrorista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.