Brasil é vítima de um sabotador chamado mercado, diz Alencar

O vice-presidente da República, José Alencar, disse, depois de participar de cerimônia no Palácio do Planalto, que em nenhum momento o documento do seu partido, o PL, critica o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. O documento, divulgado nesta semana pelo partido, critica a política econômica e a alta dos juros. "Não há nenhuma palavra no documento que possa ofender a quem quer que seja. Nem o presidente do BC nem o ministro da Fazenda", afirmou. Em relação às declarações do presidente do partido, Valdemar Costa Neto, de que Meirelles é o maior "sabotador" do País, Alencar disse que a sabotagem que o Brasil tem sido vítima "é sabotagem de uma coisa que se convencionou chamar de mercado". "Não tem nada a ver com o ministro da Fazenda, nem com o presidente do Banco Central. Isso tem de ser compreendido porque do contrário fica parecendo que nós, que estamos lutando em defesa do Brasil sejamos algozes", afirmou. Ele explicou que o documento do PL foi realizado com base na síntese dos discursos feitos há 10 dias, no fórum que reuniu integrantes do partido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.