Brasil é sede de reunião da OCDE

O Brasil será sede, a partir desta segunda-feira, da reunião bianual da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Especialistas dos 30 países-membros estarão em Brasília para debater o financiamento às pequenas e médias empresas. Na avaliação do anfitrião da festa, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, as micro e pequenas empresas têm seu crescimento inibido por acusa de normas e exigências para a concessão de crédito.O evento servirá como uma vitrine para o governo mostrar suas ações em favor das microempresas. Outra razão para a realização da reunião no Brasil é uma espécie de sondagem para um eventual ingresso do País na OCDE. A idéia é defendida pela área econômica, mas conta com a resistência do Itamaraty.Nos três dias, a conferência tratará de três temas centrais, todos derivados da constatação que o acesso a financiamentos é o principal gargalo para o setor. O primeiro tratará o "gap" financeiro e os mecanismos inovadores de financiamento a pequenas e médias empresas. Nesse tópico, o Brasil deverá mostrar o mecanismo que permite a empresas de menor porte apresentarem os seus contratos de fornecimento de bens ou serviços a grandes companhias como garantia para seu acesso a linhas de crédito.O segundo tema será o papel dos mercados e dos governos sobre as pequenas e médias empresas. Nesse caso, será apresentado o texto da Lei Geral de Micro e Pequenas Empresas que está em discussão no Congresso, as novas regras do Simples (o sistema integrado de tributação de companhias desses portes) e também a recente iniciativa de reduzir o prazo de abertura e encerramento de empresas. O terceiro tópico, será o private equity (uma forma de financiamento via mercado de capitais para empresas não cotadas em bolsa).

Agencia Estado,

27 de março de 2006 | 06h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.