Brasil e Nasa assinam acordo de tecnologia

O governo brasileiro e a agência espacial norte-americana (Nasa) assinaram hoje uma declaração conjunta para o desenvolvimento de oito programas de tecnologia de ponta. O documento foi firmado, simultaneamente, no Brasil e nos Estados Unidos, com a presença de autoridades dos dois países nas duas cerimônias. Entre os projetos, estão a detecção por satélite de focos de incêndio, estudos sobre ciências da vida no espaço, pesquisas a respeito de chuvas e construção de uma estação de rastreamento do espaço profundo.O ministro da Ciência e Tecnologia do Brasil, Ronaldo Sardenberg, aposta que o estudo de novos campos científicos aumentará o conhecimento dos dois países. "Temos muito a aprender e a ensinar", disse o ministro, explicando que o Brasil possui o maior plano do mundo para detecção de fogo com o auxílio de satélites. Sardenberg negocia o financiamento dos projetos. Ele quer que a Nasa contribua com uma parcela dos recursos necessários para a execução dos intentos.No Brasil, participaram da assinatura da declaração o conselheiro para Assuntos de Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia dos Estados Unidos, Darrel Jenks, e a secretária para Assuntos de Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia daquele país, Nancy Cohen. Pelo acordo assinado, um dos empreendimentos previstos é o que permite o uso de balões e foguetes de sondagem fabricados no Brasil em trabalhos sobre ciências atmosféricas e espaciais. Já com o Projeto Vivendo com uma Estrela, os dois países poderão fazer previsões de tempestades solares, que prejudicam as telecomunicações de ondas curtas e as por meio de satélites.O Brasil poderá beneficiar-se, diretamente, com uma das idéias planejadas, a de aperfeiçoamento tecnológico de sensores projetados para detectar focos de calor em área de floresta. O programa servirá para aumentar o controle das queimadas no País. Em 1998, quando um incêndio em Roraima atingiu proporções inesperadas, o governo montou um sistema de monitoramento de fogo com a ajuda de satélites.

Agencia Estado,

16 de novembro de 2001 | 19h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.