Brasil e Líbano anunciam comissão para estreitar relações

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente do Conselho de Ministros do Líbano, Rafik Hariri, anunciaram em solenidade no Itamaraty, a criação de uma comissão bilateral de cooperação de alto nível para promover o intercâmbio comercial, o incremento dos fluxos de capital e de investimento entre os dois países. Durante encontro no Itamaraty, ambos manifestaram disposição de restabelecer uma linha aérea regular entre São Paulo e Beirute; a instalação de filiais de bancos brasileiros no Líbano e maiores facilidades para concessão de vistos para executivos dos dois países. Lula voltou a reiterar que, até dezembro, deverá visitar o Oriente Médio, inclusive o Líbano. Ele disse que o último chefe de Estado brasileiro a visitar aquele país foi D. Pedro II, em 1876. "É necessário um esforço conjunto dos dois governos para intensificar as relações, tornando-as mais concretas", afirmou. Lula falou sobre a importância da colônia libanesa para o crescimento do Brasil. Em entrevista ao lado de Hariri, ele defendeu a criação de um Estado palestino "independente, coeso, democrático e economicamente viável" e a reconstrução do sistema multilateral, com mudanças e fortalecimento da Organização das Nações Unidas. Lula disse que o governo brasileiro deseja estreitar relações econômicas com todo o mundo árabe. Do encontro no Itamaraty participaram, também, os ministros do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, e do Turismo, Walfrido Mares Guia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.