Brasil deve ganhar mais quatro beatos

Mais três brasileiros e um espanhol que viveu 11 anos no Brasil serão beatificados nos próximos meses, informou o Estado. O papa Bento XVI, que antes autorizou a beatificação do holandês Padre Eustáquio, em Belo Horizonte, e do espanhol Padre Mariano, em São Paulo, assinou no sábado os decretos que reconhecem como mártires a freira baiana Lindalva Justo de Oliveira, a menina catarinense Albertina Berkenbrock e o adolescente gaúcho Adílio Daronch, além do padre Manuel Gómez González, que nasceu na Espanha e passou por Portugal antes de ser enviado para o Rio Grande do Sul. Considerados mártires, por terem dado a vida em defesa da fé, eles não precisarão ter feito milagre para ser declarados beatos.Irmã Lindalva nasceu em Açu (RN) em 1953 e morreu esfaqueada em Salvador, em 1993, ao resistir ao assédio sexual de um dos internos do abrigo para idosos em que trabalhava. ?Eram 7 horas da manhã de 9 de abril, Sexta-feira Santa, e ela servia o café no refeitório, depois de participar de uma via-sacra?, disse irmã Leonete Custódio, contemporânea de irmã Lindalva quando ambas entraram na Companhia das Filhas da Caridade, ou vicentinas.O assassino, José Augusto Peixoto, um morador de rua de 46 anos, deu 44 facadas nas costas da freira porque, conforme afirmou no tribunal, ela não lhe dava atenção. Resistência a assédio sexual significa, no caso, defesa da castidade.Foi também por esse motivo que o oleiro Idalício Cipriano Martins degolou, num sítio da localidade de São Luís (SC) a menina Albertina Berkenbrock, descendente de imigrantes alemães. Albertina, de 12 anos, resistiu ao ataque do assassino que tentou deflorá-la no dia 15 de junho de 1931, quando ela saiu de casa para procurar um boi desgarrado.Adílio Daronch, que nasceu em Dona Francisca (RS) e tinha 15 anos, era coroinha e acompanhava o missionário Manuel Gómez González na região do Alto Uruguai, quando caíram numa emboscada armada por soldados da Brigada Provisória, em 21 de maio de 1924, que espalhavam o terror na zona rural. Amarrados e torturados, padre Manuel levou dois tiros e Adílio três. Eles percorriam colônias para a desobriga - administração dos sacramentos da confissão, da eucaristia e do matrimônio - e foram sepultados num cemitério que o missionário deveria benzer.As cerimônias de beatificação, previstas para 2007, deverão ocorrer em Salvador (BA), Tubarão (SC) e Santa Maria (RS), dioceses em que os mártires brasileiros nasceram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.