Brasil deve combater descolamento político, diz Tarso

O ministro das Relações Institucionais, Tarso Genro, disse em nota no site do PT, nesta segunda-feira, que o atual desafio do Brasil é combater o descolamento político e econômico que prejudicam a integração socioeconômica e política do País. "Agora, trata-se de criar condições para responder ao déficit de integração nacional que foi flagrado na maciça preferência que as regiões mais pobres do Brasil tiveram em relação à candidatura Lula, apesar da boa votação obtida no segundo turno nos Estados do Sul", disse Tarso.O ministro afirmou que o governo deve aliar políticas de inclusão ao consumo básico e à educação, valorizando o âmbito regional. Tarso apontou para o "débil estágio de integração sociopolítica do País" e citou as idéias de Geraldo Alckmin (PSDB), candidato derrotado nas urnas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), como exemplos do descolamento vivido no País, de acordo com sua avaliação.Para ele, a idéia de "choque de gestão" não tem significado para a maior parte do País, "onde a máquina pública ainda não exerceu, para as grandes massas, as funções públicas mais elementares". O petista enfatizou ainda que a tese de corrupção no governo Lula "se chocou com a realidade do combate frontal à corrupção pelo próprio governo". Já a "tese da ´incompetência´ do presidente", segundo ele, foi derrotada pela melhoria de vida experimentada pelas parcelas mais pobres da população.Na visão de Tarso, o apoio que essas idéias e o próprio Alckmin receberam da "maior parte da imprensa" demonstram o "descolamento da parte mais avançada do capitalismo brasileiro do resto do Brasil".O petista ainda apontou como um equívoco a idéia de que a vitória de Lula foi a vitória do populismo. "O populismo não incorpora as massas populares no jogo democrático", disse. Tarso defendeu "um mercado no qual o consumo popular ascendente ajude a eliminar a exclusão e a miséria e permita que todos se sintam pertencentes a um projeto democrático de nação".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.