Brasil criará indicador oficial de pobreza

O Brasil vai criar o primeiro indicador oficial de pobreza, que será feito com uma metodologia uniformizada com todos os outros países da América Latina e Caribe. O compromisso foi assinado hoje no encerramento do III Encontro de Ministros de Desenvolvimento Social da região. "Até novembro teremos adotado os novos critérios e já seremos capazes de produzir o novo índice", afirmou a secretária nacional de Assistência Social, Wanda Engel.A secretária já tem planos para criar um novo e mais completo indicador para medir pobreza no País. Nos moldes do Índice de Desenvolvimento Humado, o IDH das Nações Unidas, o Brasil quer criar o Índice de Desenvolvimento das Famílias e está cadastrando as 9,3 milhões de famílias brasileiras, que segundo o Censo 2000, vivem com menos de meio salário mínimo. O trabalho de cadastramento está sendo feito por todas as 5.561 prefeituras do País. Elas estão procurando as famílias para tentar descobrir como vivem e quais são as principais deficiências dessa parcela da população. "Achamos que esse será um indicador muito mais completo e que vai ajudar ", disse a secretária de Assistência Social.Para realizar o trabalho de uniformização, a Secretaria pretende reunir especialistas em pobreza de diferentes instituições, como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Instituto de Pesquisas Aplicadas (Ipea) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV).O próximo encontro de ministros acontece no Chile, em novembro, e de lá sairão os projetos concretos para implantação de projetos conjunto de combate à pobreza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.