Brasil cresce uma Bahia em 7 anos e chega a 183,9 milhões de habitantes

Contagem do IBGE foi feita em 5.435 municípios e será usada pelo TCU para cálculo das cotas do FPM

Jacqueline Farid, RIO, O Estadao de S.Paulo

17 de novembro de 2007 | 00h00

O Brasil tem atualmente 183,9 milhões de habitantes, segundo o relatório final da Contagem da População, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), feita em 5.435 municípios com até 170 mil habitantes e entregue na quinta-feira ao Tribunal de Contas da União (TCU). Segundo o documento, nos últimos sete anos, o País ganhou mais 14 milhões de habitantes, "o que corresponde a um Estado do porte da Bahia". Na contagem, foram visitados 30 milhões de domicílios. O TCU vai utilizar o levantamento para o cálculo das cotas referentes ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Mudanças populacionais já geraram, em anos anteriores, protestos de cidades que "perdem" habitantes e, com eles, verbas. A contagem anterior foi em 2000.A novidade de 2007 é que São Paulo tem agora mais uma cidade com mais de 1 milhão de habitantes. Desde o Censo 2000, de acordo com o IBGE, o número de municípios brasileiros com mais de 1 milhão de habitantes subiu de 13 para 14. A inclusão mais recente foi Campinas, que é o terceiro município paulista a figurar na lista - os outros dois são a capital e Guarulhos. Este é o ranking das cidades com mais de 1 milhão de habitantes: São Paulo (10,8 milhões), Rio de Janeiro (6,1 milhões), Salvador (2,8 milhões), Brasília (2,45 milhões), Fortaleza (2,43 milhões), Belo Horizonte (2,41 milhões), Curitiba (1,7 milhão), Manaus (1,6 milhão), Recife (1,5 milhão), Porto Alegre (1,42 milhão), Belém (1,4 milhão), Goiânia (1,24 milhão), Guarulhos (1,23 milhão) e Campinas (1,03 milhão).Na comparação com o Censo 2000, a maior e a menor cidade do Brasil em termos de população continuam no Estado de São Paulo. A capital paulista é o município mais populoso, enquanto a pequena Borá, no oeste paulista, mantém o título de menor população do País: há sete anos tinha795 habitantes e hoje, segundo a contagem, só ganhou mais 9 moradores, totalizando 804. Entre as grandes regiões, segundo o IBGE, todas apresentaram crescimento populacional em relação ao Censo 2000, mas não houve alterações no ranking dos mais populosos: o Sudeste ainda lidera, com 77,8 milhões, seguido do Nordeste (58,5 milhões), Sul (26,7 milhões), Norte (14,5 milhões) e Centro-Oeste (13,2 milhões). Há sete anos, mantida a ordem de regiões acima, os números eram, respectivamente, 72,4 milhões (Sudeste), 47,7 milhões (Nordeste), 25 milhões (Sul), 12,9 milhões (Norte) e 11,6 milhões (Centro-Oeste).Já entre os Estados, o mais populoso continua a ser São Paulo, com 39,8 milhões de habitantes, seguido de Minas (19,2 milhões), Rio (15,4 milhões), Bahia (14 milhões) e Rio Grande do Sul (10,5 milhões). O menos populoso é Roraima (395,7 mil habitantes), seguido do Amapá (587,3 mil) e Acre (655,3 mil). Palmas, no Tocantins, ainda é a capital menos populosa do Brasil, com 178,3 mil habitantes. Em dezembro, o IBGE divulgará o resultado completo da Contagem da População, com mais informações, como sexo, idade e migração. COLABOROU ALEXANDRE RODRIGUES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.