Brasil continuará investindo no Irã, diz Lula nos EUA

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou neste sábado, 31, após visita ao presidente norte-americano, George W. Bush, que o Brasil continuará investindo no Irã, onde há projetos em andamento no setor energético envolvendo a estatal brasileira Petrobras . "Estou convencido de que a Petrobras vai continuar investindo no Irã", declarou ele a jornalistas. Os EUA, por meio de seu embaixador no Brasil, pediram ao país que retire investimentos no Irã, país acusado de contrariar orientações da Organização das Nações Unidas (ONU) ao manter um programa nuclear. O Irã, entretanto, afirma que seu programa tem fins pacíficos. O Brasil tem investimentos previstos em contrato no valor de US$ 35 milhões e avalia um outro empreendimento de US$ 470 milhões, recursos esses que seriam investidos no setor de petróleo no Irã. Lula afirmou ainda que os iranianos compram US$ 1 bilhão do Brasil ao ano e "não vendem quase nada". "Como no Brasil não temos divergência com o Irã, vamos continuar trabalhando, desde que seja do interesse do Brasil." Segundo Bush, o País deveria seguir as sanções aplicadas pela ONU ao Irã, há uma semana. O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou por unanimidade um pacote de sanções financeiras e de armas, que visa pressionar o país a suspender o enriquecimento de urânio.As sanções proíbem a exportação de armas iranianas e o congelamento de 28 ações de pessoas e organizações envolvidas com o programa nuclear de TeerãBush respondeu dizendo que o Brasil é uma nação soberana, mas que os países devem levar em conta que o Irã tem um projeto nuclear. "Comércio não é uma violação de uma decisão da ONU", disse o norte-americano. Mas ele aconselhou os países a não colaborarem com uma nação que está tentando desenvolver uma arma atômica, violando acordos da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.