Brasil adere à convenção de controle do tabaco

O Brasil foi um dos primeiros países a assinar hoje na sede da Organização Mundial da Saúde (OMS) a Convenção Internacional de Controle do Tabaco. Com a adesão oficial por parte do País, o governo se compromete a tomar medidas como o aumento do preço do cigarro, o combate ao contrabando e o controle da venda e publicidade do produto.Além do Brasil, outros 27 países também aderiram à Convenção de Controle do Tabaco já no primeiro dia em que o acordo esteve aberto para assinaturas. Para que a Convenção entre em vigor, porém, serão necessárias 40 adesões, marca que a OMS pretende atingir até o final do ano. Além disso, os parlamentos desses 40 governos terão que ratificar o texto para que ele se torne lei.A agência de saúde da ONU acredita que se o tratado foi implementado em todo o mundo, o número de fumantes poderá ser reduzido de forma significante nos próximos 30 anos. Atualmente, 1,2 bilhão de pessoas fumam. Com as medidas de controle previstas, o número poderá cair para 900 milhões até 2030. No total, 5 milhões de pessoas morrem todos os anos por doenças causadas pelo cigarro. O tratado obrigaria países a estabelecerem leis que impeçam vendas a menores e marketing fora dos locais de comercialização do produto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.