Braga teria errado ao mencionar cassação

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) avaliaram nesta quarta-feira que o senador Roberto Saturnino Braga (PSB-RJ) errou ao mencionar a palavra cassação no relatório sobre a participação dos senadores Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e José Roberto Arruda (sem partido-DF) na violação do painel de votação do Senado.Mas os integrantes do STF consultados consideraram que isso não compromete o trabalho do parlamentar. Os ministros ouvidos disseram que a situação dos dois senadores continua "péssima". Um deles mostrou preocupação com a possibilidade de a Mesa Diretora do Senado demorar até 15 dias para decidir se abrirá ou não processo de cassação contra ACM e Arruda. "Estão enrolando", disse o ministro. Na opinião de um integrante do Supremo, ao mencionar a palavra cassação no relatório, Braga deu motivo para que a tramitação do caso demore mais ainda em virtude das discussões entre aliados dos dois senadores e parlamentares favoráveis à cassação. Segundo esse ministro, Braga deveria apenas ter dito que havia indícios de quebra de decoro por parte dos dois senadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.