DIDA SAMPAIO/ESTADÃO (22/4/2020)
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO (22/4/2020)

Braga Netto é exonerado da Defesa e ganha cargo no Planalto; general Paulo Sergio é novo ministro

Nomeação para posto de assessor deixa ex-ministro com mais tempo para decidir sobre cargo de vice na chapa de Bolsonaro

Luci Ribeiro e Eduardo Gayer, O Estado de S.Paulo

31 de março de 2022 | 14h42

Brasília – Horas depois de exonerar nove ministros que vão disputar as eleições deste ano, o governo federal oficializou há pouco a saída do general Walter Braga Netto do cargo de ministro da Defesa e o nomeou para um novo posto no Palácio do Planalto: o de Assessor Especial do Gabinete Pessoal do Presidente da República, Jair Bolsonaro. Braga Netto é cotado para ser o vice de Bolsonaro na busca pela reeleição.

De acordo com a lei eleitoral, ministros precisam deixar o cargo seis meses antes das eleições. O prazo de desincompatibilização para líderes na Esplanada neste ano, portanto, expira em 2 de abril. Para o caso do novo cargo de Braga Netto, a saída da máquina pública precisa acontecer apenas três meses antes das eleições, o que dará ao provável vice de Bolsonaro um lugar privilegiado no Planalto ao lado do presidente.

O novo ministro da Defesa é o general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, antes comandante do Exército, cargo que passará a ser ocupado pelo general Marco Antônio Freire Gomes. As mudanças foram informadas em edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

A posse de Freire Gomes como novo comandante do Exército está marcada para ocorrer ainda hoje, às 17 horas. A solenidade deve contar com a presença do presidente Bolsonaro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.