Andre Dusek/Estadão
Andre Dusek/Estadão

Braga Netto é diagnosticado com covid-19; é o 7º ministro a contrair a doença

Ministro da Casa Civil está assintomático e passa bem, diz pasta; general ficará em isolamento

Emilly Behnke, O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2020 | 12h14

BRASÍLIA – O ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto, recebeu nesta segunda-feira, 3, a confirmação de que testou positivo para a covid-19.

"O ministro passa bem e está assintomático", afirma nota divulgada pela assessoria da pasta. Além dele, outros seis ministros e o presidente Jair Bolsonaro já contraíram a doença. "Ele ficará em isolamento até novo teste e avaliação médica. Até lá, continuará cumprindo a sua agenda de forma remota", diz a nota. 

Nesta segunda-feira, Braga Betto tinha uma agenda prevista às 10h30 com o presidente Jair Bolsonaro e os ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Secretaria-Geral, Jorge Oliveira. 

Ele participou da reunião "à distância", de forma remota, segundo informou a assessoria da Casa Civil. O órgão também informou que Braga Netto esteve no Planalto nesta segunda-feira e passou no posto médico do Palácio.  

Além de Braga Netto, já foram diagnosticados com a doença os ministros Augusto Heleno, (Gabinete de Segurança Institucional), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Milton Ribeiro (Educação), Onyx Lorenzoni (Cidadania), Marcos Pontes, (Ciência, Tecnologia e Inovações) e Wagner Rosário (Controladoria Geral da União). 

Após meses minimizando a pandemia, Bolsonaro anunciou ter testado positivo para a covid-19 no último dia 7, e cumpriu um período de 18 dias de isolamento no Alvorada, despachando remotamente. Ele anunciou que estava livre da doença no dia 25 e voltou a participar de reuniões e eventos presencialmente.

Segundo dados do consórcio de imprensa divulgados nesta segunda-feira, o número total de mortos no País em virtude da pandemia chegou a 94.130 mortes. Mais de 2,7 milhões de brasileiros já foram infectados pelo novo coronavírus, conforme levantamento realizado pelo Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL junto às secretarias estaduais de Saúde.

O Brasil é a segunda nação do mundo com maior número de casos e mortes por covid-19, atrás apenas dos Estados Unidos, que têm 4,3 milhões de infecções confirmadas e 150 mil óbitos, de acordo com a Universidade Johns Hopkins. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.