Bové distribui autógrafos e diz que espera voltar logo ao Brasil

Após encontrar-se com o governador Olívio Dutra, no Palácio Piratini, Bové almoçou no hotel Plaza São Rafael e dirigiu-se ao aeroporto Salgado Filho, acompanhado de sua esposa, Gislaine, deintegrantes da Confederation Paysanne, seu movimento, e de amigos. No saguão do hotel, encontrou admiradores e posou para fotos. José Pedro Leal, de 75 anos,admirador do líder comunista Luiz Carlos Prestes, foi um deles."Conheço um revolucionário no olho. Sei que alguém está fazendo alguma coisa por este mundo", declarou depois de abraçar Bové. No saguão do aeroporto, a rotina de celebridadedo francês, aumentada depois do Fórum Social Mundial, continuou. Deu autógrafos,posou novamente para fotos, foi abordado por judeus ortodoxos, recebeu o sinal deaprovação - polegar para cima - de três surfistas e reproduziu o gesto de adeusvárias vezes na porta da sala de embarque.Despediu-se dizendo que espera voltarlogo ao Brasil.Seguiu no vôo 3969, da TAM, das 16h10, para São Paulo. De lá rumaria para Paris, em um vôo da Air France, marcado para às 21h15 desta quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.