Bornhausen teme demissão de Tourinho e Ornellas

Perplexo com o conteúdo da conversa entre o senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e procuradores da República, o presidente nacional do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), disse hoje a interlocutores que ACM perdeu o respaldo partidário e, desse modo, o presidente Fernando Henrique Cardoso está com "a faca e o queijo na mão" para demitir os ministros Rodolpho Tourinho, das Minas e Energia, e Waldeck Ornellas, da Previdência, afilhados políticos do senador baiano. Além de reprovar a visita aos procuradores, Bornhausen comentou que o ex-presidente do Senado havia passado dos limites e que sua situação no PFL teria se complicado. O governador Siqueira Campos, de Tocantins, avisou informalmente à direção do partido que, na reunião da Executiva Nacional do PFL marcada para o próximo dia 8, pedirá a expulsão de ACM do partido. Na conversa com os procuradores, o senador denuncia o governador do PFL de envolvimento em irregularidades juntamente com o senador Jader Barbalho (PMDB-PA), presidente do Senado. Ainda esta semana, Bornhausen interferira em favor de ACM junto a Fernando Henrique, que ameaçara demitir o ministro Rodolpho Tourinho justamente por conta da visita aos procuradores. E na nota que distribuiu hoje, Bornhausen repreendeu publicamente o colega de partido e saiu em solidariedade ao presidente Fernando Henrique .

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.