Bornhausen prepara documento contra CPI

O presidente nacional do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), submeterá à Executiva Nacional do partido uma carta contra a CPI da Corrupção que, se aprovada, ele encaminhará a todos os deputados e senadores. No documento, o senador vai apontar os reflexos negativos que a CPI poderá causar ao País. O PFL pedirá aos parlamentares que assinaram o requerimento, cerca de dez deputados e três senadores, a retirada das assinaturas. Ao mesmo tempo, fará um apelo para ninguém mais subscrever o requerimento. Essa iniciativa do PFL foi decidida por Bornhausen e tem a simpatia do presidente Fernando Henrique Cardoso, com o qual ele se encontrou na noite de sábado. ?O PFL vai fazer a sua parte?, disse Bornhausen. No Senado, os três senadores que assinaram o documento são do PFL da Bahia: Antonio Carlos Magalhães, Waldeck Ornellas e Paulo Souto. Hoje, o PSDB abriu sua participação com a declaração de apoio à CPI feita pelos senadores Álvaro Dias (PR) e Osmar Dias (PR) que anunciaram decisão de assinar o requerimento, para desconforto da liderança partidária. Da base governista, o PMDB é, até o momento, o partido que mais contribuiu com assinaturas ao requerimento. Sete senadores apoiaram a proposta da oposição, entre eles o presidente do Senado e do partido, Jader Barbalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.