Bornhausen: oposição irá vigiar ações do governo Dilma

O deputado federal Paulo Bornhausen, líder do DEM na Câmara e um dos mais polêmicos oposicionistas, afirmou hoje, um dia após a eleição da petista Dilma Rousseff para Presidência da República, que a oposição fará vigilância constante nas ações do governo e cobrará temas e matérias de interesse do País.

JÚLIO CASTRO, Agência Estado

01 de novembro de 2010 | 16h46

"Vamos seguir nossa luta oposicionista e de combate. Trata-se de um governo de continuidade que torcemos para que possa mudar sua relação com o Congresso. Que ao invés de discutirmos questões como as dos mensaleiros, tenhamos a oportunidade de debater apenas temas importantes para o País dentro de uma forma mais republicana possível."

Sobre a maioria parlamentar conquistada no Congresso, Bornhausen salienta que na gestão de oito anos do governo Luiz Inácio Lula da Silva a situação não foi diferente e que, embora com amplo apoio no Legislativo, muitas das promessas de campanha não foram cumpridas.

O descontentamento sobre a atual gestão federal foi demonstrada, segundo ele, em Santa Catarina. Tanto no primeiro quanto no segundo turno o PT perdeu para o PSDB nas eleições presidenciais. Bornhausen afirma que os números apurados no Estado revelam os valores de uma unidade federativa politizada e que obriga o PT fazer uma reflexão com a cobrança de seus representantes no Estado.

"Foi só um alarme e uma demonstração de inconformismo. Santa Catarina não é um Estado político. Trata-se de uma unidade progressista e que muito contribui para o País e que o PT tem, por ele, muito a fazer a fim de melhorar seu conceito perante sua população. As diferenças são crescentes. Eles sabem disso", alertou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.