Bornhausen critica MP que dá status de ministro a Meirelles

O presidente do PFL, Jorge Borhausen considerou "uma iniciativa perigosa" a medida provisória do governo federal que dá status de ministro ao presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. Segundo ele, o PFL está examinando se a medida é constitucional antes de tomar alguma iniciativa para evitar a modificação. O senador criticou ainda o fato de a alteração ter sido feita por Medida Provisória. "Medida Provisória pressupõe urgência e relevância e não me consta que haja relevância e urgência para dar foro privilegiado ao senhor Henrique Meirelles", afirmou o dirigente do PFL. O líder do partido no Senado, José Agripino (RN), disse que a medida é uma "maldade inominável com Meirelles, pois o coloca no Pelourinho e dá a ele a condição de culpado por antecipação ao tentar estabelecer uma proteção especial". Meirelles está sendo pressionado a dar explicações sobre suas declarações de Imposto de Renda. Borhausen e Agripino estão fazendo campanha ao lado do candidato Cesar Maia (PFL), visitando o projeto Favela Bairro na favela de Vigário Geral, zona Norte do Rio de Janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.