Bornhausen critica Dirceu e chama governo de perdulário

O presidente do PFL, Jorge Bornhausen, rebateu as declarações do ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, que nesta manhã, em Goiânia, criticou Bornhausen por protestar contra o aumento de impostos proposto pelo PT, na reforma tributária. "O ministro José Dirceu, que faz parte do triunvirato que administra o País, veio a público tentar justificar, como justiça tributária, a proposta de aumentar em 167% a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) das empresas prestadoras de serviços. Nessa mesma proposta está previsto o aumento da Cofins, de 3 para 4%, das instituições financeiras", afirma Bornhausen em nota divulgada no site do PFL, na internet. Segundo a nota, o ministro José Dirceu "deixou de dizer que os conglomerados financeiros não contestaram o aumento porque vão repassá-lo para os tomadores de dinheiro, com o que subirão ainda mais os juros e as taxas bancárias, penalizando o setor produtivo". A nota acrescenta que o PFL vai combater, também, a proposta de aumento da alíquota do Imposto de Renda que, segundo Dirceu, está em estudos. "Um governo que criou ministérios e secretarias para acomodar candidatos derrotados, não tem autoridade para impor aumentos de impostos e de contribuições. Está na hora de apontar o dedo para o verdadeiro perdulário, que é o governo, e deixar o setor produtivo trabalhar sem novos ônus. Só assim, haverá possibilidade de crescimento e de geração de empregos", conclui a nota do presidente do PFL.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.