Borges: "cassar ACM é cassar a Bahia"

O governador da Bahia, César Borges, voltou a defender o senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA), ao sair da reunião de governadores do PFL, em São Luís (MA)."Querer cassar ACM é querer cassar a Bahia. Não está nada provado contra ACM", disse o governador. Com relação ao PFL, Borges disse que o partido está sendo maltratado na aliança que dá sustentação ao governo, e citou como exemplo a sucessão nas presidências da Câmara e do Senado. O governador baiano criticou o presidente Fernando Henrique Cardoso por não ter interferido nesse processo. Ele lembrou que um governador tem influência na eleição da Assembleia Legistativa. "Se o presidente tivesse entrado na disputa no momento oportuno, estaria vivendo outra história", afirmou o governador. César Borges destacou ainda o fato de a Bahia ser o sexto maior Estado do país, e ter perdido dois ministros e os presidentes da Eletrobrás e do INSS. Para o governador baiano, o episódio em torno da violação do painel eletrônico do Senado não é o principal assunto do País. "É um assunto exclusivo do Senado", disse o governador, ressaltando que existem outros temas mais importantes, como o aumento do dólar e da inflação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.