Bom uso de computador dá prêmio a escolas

Bons projetos de uso da informática na sala de aula que contam com a participação de alunos e professores na sua elaboração podem fazer muita diferença na qualidade de ensino de uma escola. Apostando nisso, o Instituto Ayrton Senna (IAS) premia pela segunda vez instituições públicas de ensino fundamental e médio que formularam maneiras de usar um laboratório de informática de forma inovadora. Além dos computadores e da conexão com a Internet, as 36 escolas vencedoras do concurso Sua Escola a 2000 por Hora receberão apoio técnico e pedagógico para tirar as idéias do papel. Os projetos premiados, entre os 1.500 inscritos, foram definidos hoje. A iniciativa é uma parceria do instituto com a Microsoft Brasil, Gateway e TCO Centro-Oeste Celular. A presidente do IAS, Viviane Senna, diz que o momento é de aprofundamento dos objetivos do projeto. "A entrega dos computadores é a parte menos importante de tudo isso", disse Viviane. "O que queremos responder com o concurso é: como se faz uma criança dar certo na escola e na vida usando a tecnologia?" Há um ano, as 20 escolas premiadas na primeira edição do concurso estão colocando seus projetos em prática. Por meio da internet, estudantes e professores têm trocado impressões sobre as atividades. A idéia do comitê gestor do concurso é ampliar essa comunidade virtual a outras instituições de ensino e fazer da experiência das escolas premiadas uma referência para outros projetos que unam educação e tecnologia. Para o presidente do comitê, Eduardo Chaves, professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o concurso ajuda a "quebrar a lógica conservadora que rege a educação no Brasil". "A chegada do material de divulgação já é, de alguma forma, um impulso para isso", avalia. "Mais do que premiar, queremos que as escolas se organizem e façam a comunidade participar da elaboração do projeto." Em visita ao Brasil, o vice-presidente para assuntos corporativos da Microsoft Corporation, Bill Neukom, pôde conhecer o projeto do qual a empresa é parceira. "Minha avaliação é altamente favorável", disse. "O que está sendo feito aqui pode ser usado em outros países." Premiadas - Em São Paulo, foram premiadas seis escolas estaduais: Sapopemba (São Paulo); Professora Olga Yasuko (Pirapozinho); Professora Luiza Baruque Kyrche (Santa Bárbara d´Oeste); Professora Maria Dulce Mendes (São Vicente); Godofredo Furtado (São Paulo); e Capitão Deolindo de Oliveira Santos (Ubatuba). A lista das premiadas nos outros nove Estados que participaram desta edição do concurso está no site www.escola2000.org.br.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.