Breno Pires/Estadão
Breno Pires/Estadão

Bolsonaro visita Mourão e evita responder perguntas sobre preço do diesel

Presidente foi questionado sobre interferência no reajuste, mas seguiu sem falar com a imprensa

Breno Pires, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2019 | 12h47

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro visitou neste domingo o vice-presidente Hamilton Mourão, no Palácio do Jaburu, residência oficial do vice. Na saída do Palácio da Alvorada, onde mora, Bolsonaro fez uma parada-relâmpago para cumprimentar e tirar fotos com cerca de 20 pessoas que estavam no local, entre turistas e moradores da capital. Nesse momento, jornalistas perguntaram sobre a interferência dele no reajuste do diesel, ao telefonar para o presidente da Petrobras e pedir o cancelamento do aumento de 5,7%.

Ele foi questionado também sobre a declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, à imprensa, um dia depois desse telefonema, de que era possível “consertar” algo que não seja “razoável” para a economia. Bolsonaro entrou no carro novamente e seguiu sem falar com os repórteres.

Ainda enquanto tirava fotos e cumprimentava as pessoas, Bolsonaro ouviu elogios e o comentário de um dos visitantes de que era importante reduzir a máquina do Estado. O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno Ribeiro, acompanhou o presidente na visita a Mourão, que durou uma hora e meia. O vice-presidente está de repouso após ter feito uma punção para aliviar uma tendinite no cotovelo direito.

Na volta ao Alvorada, no começo da tarde, ele novamente parou em frente à portaria para cumprimentar visitantes e, mais uma vez, preferiu não conversar com os jornalistas, que insistiram na questão do preço do diesel. Um repórter chegou a perguntar: “quem manda no governo: o presidente ou o ministro Paulo Guedes?”. A cerca de dois metros dos jornalistas, Bolsonaro continuou tirando fotos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.