Eraldo Peres/AP
Eraldo Peres/AP

Bolsonaro, sobre perdão a Silveira: 'Me sinto orgulhoso'

Presidente volta a sugerir que STF ameaça a liberdade no País

Eduardo Gayer, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2022 | 17h58

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quinta-feira, 28, que está "orgulhoso" do perdão concedido ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado a quase nove anos de prisão pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Ele também voltou a sugerir que a Corte protagoniza um processo de "corrosão das liberdades individuais" no País.

"Isso que eu fiz (o perdão) não é apenas para aquele deputado, é para todos vocês. A nossa liberdade não pode continuar sendo ameaçada. Me senti orgulhoso e feliz comigo mesmo com a decisão tomada", disse o presidente durante cerimônia de entrega de títulos agrários em Paragominas (PA).

Para justificar o perdão, Bolsonaro também repetiu em seu discurso que Silveira estava sendo injustiçado ao receber pena de 8 anos e 9 meses de prisão por insuflar agressão a ministros do STF e pedir o fechamento da instância máxima do poder Judiciário, o que configura atentado contra a democracia

Bolsonaro editou decreto concedendo perdão ao deputado aliado um dia após o plenário do STF condenar o parlamentar por promover ataques a instituições democráticas e estimular, inclusive, agressão física a ministros do próprio Supremo. Na quarta-feira, 27, Bolsonaro reuniu parlamentares no Palácio do Planalto e convidou Silveira para um ato "em defesa da liberdade de expressão". No evento, criticou a atuação de parte dos ministros do STF e chegou a defender que as Forças Armadas façam apuração paralela das eleições deste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.