Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Bolsonaro recebe embaixador italiano e discute situação de Battisti

País europeu pede extradição de Battisti; presidente eleito já sinalizou que autorizaria a medida

Márcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

05 Novembro 2018 | 11h39

RIO - O embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini, visitou o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) na manhã desta segunda-feira, 5, para tratar do futuro da relação entre os dois países e discutir a situação do ativista italiano Cesare Battisti, condenado no país europeu por terrorismo. Bernardini deixou o condomínio onde Bolsonaro mora, na Barra da Tijuca, demonstrando satisfação pelo encontro.

"O caso Battisti é muito claro. A Itália está pedindo a extradição do Battisti, o caso agora está sendo discutindo no Supremo Tribunal Federal e esperamos que o Supremo tome uma decisão no tempo mais curto possível", disse Bernardini.

O embaixador não quis antecipar se Bolsonaro fez alguma promessa sobre o caso, mas destacou que o presidente eleito "tem ideias muito claras sobre Battisti". Bolsonaro já declarou que pretende autorizar a extradição do italiano.

Segundo Antonio Bernardini, o encontro também serviu para reafirmar as boas relações entre os dois países. "Temos uma presença no Brasil que é histórica. É claro que estamos olhando para o futuro para aumentar a presença italiana no Brasil", afirmou o embaixador.

Antes dele, uma comitiva chinesa - composta pelo embaixador Li Jinzhang, pelo ministro Song Yang, pelo ministro conselheiro Qu Yuhui e pela tradutora Liu Xiyuan -, também visitou Bolsonaro. O grupo saiu sem dar declarações.

Bolsonaro viaja a Brasília nesta terça-feira, 6

Bolsonaro viaja nesta terça-feira, 6, a Brasília acompanhado de alguns de seus principais assessores. Ele irá participar de uma sessão no Congresso Nacional em comemoração aos 30 anos da Constituição de 1988, evento que contará também com a presença dos chefes dos Três Poderes e da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Na quarta, Bolsonaro deverá se reunir com o presidente Michel Temer.

O presidente eleito irá à Brasília em um jato da FAB, previsto para partir às 7h da Base Aérea do Galeão. A comitiva deverá ter 14 pessoas, entre elas o economista Paulo Guedes, já anunciado como futuro ministro da Economia, e Gustavo Bebianno, um de seus principais articuladores durante a campanha. 

Ainda cumprindo mandato de deputado federal, Jair Bolsonaro está há mais de dois meses sem ir a Brasília. O presidente eleito levou uma facada em Juiz de Fora, em Minas Gerais, em 6 de setembro, durante ato de campanha. Desde então, passou um período internado em São Paulo e, desde o fim de setembro, não saiu mais do Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.