Adriano Machado/Reuters
Adriano Machado/Reuters

Bolsonaro pede a parlamentares evangélicos mais sugestões como mudanças na CNH e fim dos radares

Aos deputados, Bolsonaro falou em mudanças no exame médico para tirar ou renovar a habilitação

Teo Cury, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2019 | 13h51

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro pediu nesta quinta a integrantes da Frente Parlamentar Evangélica do Congresso, durante café da manhã realizado no Palácio do Planalto, que apresentem mais propostas populares para o governo, como foi com o aumento da validade da CNH, de cinco para dez anos, e a decisão de acabar com radares eletrônicos. 

"Os senhores têm ideias maravilhosas que, via decreto a gente pode resolver, projeto de lei, inclusão por ocasião do relatório quando um colega faz o seu relatório lá em uma medida provisória ou projeto de lei. Essas pequenas medidas têm um alcance enorme no Brasil e trazem a população para o nosso lado”, disse Bolsonaro.

“Com toda a certeza os senhores têm dezenas, centenas de situações que a gente pode ajudar o povo brasileiro”, disse o presidente aos parlamentares. Veja no 'Monitor Bolsonaro' o andamento das propostas que mudam a CNH.

 Ao dar exemplos de medidas populares, o presidente afirmou que o governo pretende apresentar ao Congresso mudanças no exame médico para tirar ou renovar a habilitação.

“Estamos propondo aos senhores, via projeto de lei, que o médico que assina o atestado de saúde para renovar ou tirar carteira pode ser o irmão de vocês, pode ser um médico do Hospital Central do Exército. Custo zero”, explicou o presidente, que foi aplaudido pelos parlamentares.

Café da manhã. Segundo relatos de quem participou do encontro, os parlamentares agradeceram ao presidente pelo compromisso firmado por ele de indicar um ministro "terrivelmente evangélico" para uma das vagas que serão abertas para o Supremo Tribunal Federal.

O vice-presidente da Câmara, Marcos Pereira (PRB-SP), contou que o presidente agradeceu pelo apoio e os votos dos parlamentares evangélicos para a aprovação da proposta que modifica as regras de aposentadoria do País. De acordo com o deputado João Campos (PRB-GO), o presidente também agradeceu a “cobertura de orações” pela reforma da Previdência e elogiou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pela “coordenação que exerceu na Casa”.

Tudo o que sabemos sobre:
Jair Bolsonaro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.