Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Bolsonaro participa no Rio de Declaração de Guardas-Marinha

Presidente eleito prestigia evento marca que a formatura dos oficiais da Marinha

Renata Batista, O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2018 | 09h56

O presidente eleito Jair Bolsonaro chegou na manhã deste sábado, 8, à Escola Naval, no Rio, onde participa da Cerimônia de Declaração de Guardas-Marinha de 2018. No evento que marca a formatura de oficiais da Marinha, a assessoria não confirmou se ele dará entrevista.

Nesta sexta-feira, Bolsonaro falou ao site "O Antagonista" sobre os depósitos realizados na conta da mulher dele, Michele Bolsonaro, pelo ex-motorista do senador eleito Flávio Bolsonaro, Fabrício José Carlos de Queiroz. Segundo o presidente eleito, o depósito foi de R$ 40 mil e não de R$ 24 mil e se referem ao pagamento de uma dívida de Queiroz com o próprio Bolsonaro.

Fabrício Queiroz foi exonerado do gabinete do deputado em 15 de outubro deste ano, após a eleição de Flávio para o Senado e antes do segundo turno da eleição presidencial.

Relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), do Ministério da Fazenda, ao qual o Estadão teve acesso, apontou movimentações bancárias na conta de Queiroz, consideradas suspeitas, de mais de R$ 1,23 milhão, entre 1º de janeiro de 2016 e 31 de janeiro de 2017.

O relatório faz parte da investigação que prendeu dez deputados estaduais no Rio, no mês passado, e traz informações sobre 75 servidores da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) que apresentaram movimentação financeira suspeita, entre os quais o ex-assessor de Flávio Bolsonaro. De acordo com o relatório, Fabrício Queiroz era motorista de Flávio Bolsonaro e ganhava R$ 23 mil mensais.

Bolsonaro afirmou, segundo o site "O Antagonista" que ele e Queiroz eram amigos e que emprestou o dinheiro porque o ex-assessor do filho estava com problemas financeiros. Segundo ele, informou o site, Queiroz fez dez cheques de R$ 4 mil para quitar a dívida de R$ 40 mil. “Eu podia ter botado na minha conta. Foi para a conta da minha esposa porque eu não tenho tempo de sair. Essa é a história, nada além disso. Não quero esconder nada, não é nossa intenção”, declarou ao site.

Mais conteúdo sobre:
Jair BolsonaroMarinha do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.