Alan Santos/PR - 24/9/2019
Alan Santos/PR - 24/9/2019

Bolsonaro parabeniza EUA por dia da independência e elogia discurso 'corajoso' de Trump

Mais cedo, presidente participou de um almoço na residência do embaixador dos EUA no Brasil para comemorar a data

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de julho de 2020 | 18h37

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro parabenizou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o povo americano pelo aniversário de independência do país. Em publicação no Twitter neste sábado, 4, Bolsonaro ainda elogiou o discurso de Trump da última quarta-feira, 3, no qual o mandatário criticou os protestos antirracistas.

"Gostaria de parabenizar o Presidente @realDonaldTrump e o povo dos EUA pelo 244º aniversário de sua Independência. Como líderes das duas maiores democracias ocidentais, trabalhamos para avançar os ideais de liberdade, democracia e dignidade humana que esta data representa", postou o Bolsonaro, que mais cedo participou de um almoço na residência do embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman, para comemorar a data.

O presidente aproveitou ainda para cumprimentar Trump "pelo belíssimo e corajoso discurso do dia de ontem". "Palavras de um grande estadistas. Que o legado e os valores dos fundadores dessa grande nação permaneçam sólidos e jamais sejam apagados por radicais." As postagens foram feitas em português e inglês.

Na véspera do 4 de julho, dia da Independência dos EUA, Trump fez um discurso durante evento no Monte Rushmore, na Dakota do Sul, e fez um apelo direto aos eleitores que estão descontentes, acusando os manifestantes que participaram do movimento racial no último mês de se envolverem em uma "campanha impiedosa para acabar com a nossa história".

O presidente norte-americano comentou ainda o fato de alguns manifestantes terem atingido monumentos e estátuas em todo o país, com a justificativa de que eram homenagens aos que se beneficiaram com a escravidão. Segundo Trump, os manifestantes estavam tentando apagar a história dos EUA. "Não se enganem, esta revolução cultural de esquerda foi projetada para derrubar a revolução americana", disse. (Equipe AE)

Almoço

Bolsonaro repetiu o gesto feito no ano passado e participou, neste sábado, 4, de uma comemoração pelo aniversário da independência dos Estados Unidos. Recebido pelo embaixador americano no Brasil, Todd Chapman, na residência do diplomata, no Lago Sul, em Brasília, o presidente chegou por volta das 13h e permaneceu no local por cerca de duas horas.

A comemoração ocorreu em meio à pandemia de covid-19, apesar de ser um evento mais restrito que o do ano anterior, quando Bolsonaro participou de um coquetel na sede da embaixada dos EUA para celebrar a data.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, alvo de pressão no Palácio do Planalto para sua substituição, conforme o Estadão/Broadcast Político revelou, estava presente ao almoço. Também participaram os ministros da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos; da Defesa, Fernando Azevedo e Silva; da Casa Civil, Braga Netto; e o Secretário Especial de Assuntos Estratégicos, Flávio Rocha, além do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). O adido de Defesa dos EUA, Lorenzo Harris, também participou do evento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.