Foto: Marcos Corrêa/PR/Flickr do Planalto
Foto: Marcos Corrêa/PR/Flickr do Planalto

Bolsonaro nomeia ex-chefe de gabinete no lugar de Jorge Oliveira na Secretaria-Geral

Pedro César Souza vai assumir pasta de forma interina; ex-ministro tomou posse no TCU nesta quinta

Redação, O Estado de S.Paulo

31 de dezembro de 2020 | 14h16

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro nomeou seu ex-chefe de gabinete e atual subchefe de Assuntos Jurídicos do governo, Pedro César Nunes Ferreira Marques de Souza, como ministro interino da Secretaria-Geral da Presidência. Ele substituirá Jorge Oliveira, que nesta quinta-feira, 31, tomou posse como ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). A expectativa no Palácio do Planalto é que um titular para a pasta só seja escolhido em fevereiro.

Uma das possibilidades discutidas pelo presidente é deslocar para o posto o atual ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos. Defensores dessa mudança argumentam que seria uma saída de prestígio ao articulador político do Planalto, que acumula desgastes com outros integrantes do governo. Assim, seu cargo na Secretaria de Governo poderia ser preenchido por um nome indicado pelo Centrão, que se aproximou de Bolsonaro nos últimos meses e passou a ocupar cargos no Executivo.

A nomeação de Souza foi oficializada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira. Segundo a publicação, ele vai acumular suas funções na Subchefia de Assuntos Jurídicos (SAJ) e na Secretaria-Geral, a exemplo do que já fazia Oliveira.

A SAJ é um dos órgãos mais importantes do governo, por onde passam todos os decretos, medidas provisórias e indicações para agências reguladoras, por exemplo. A Secretaria-Geral, por sua vez, é uma espécie de "prefeitura" do governo, responsável por coordenar ações administrativas do Palácio do Planalto.

Pedro Sousa, que é advogado e major reformado, acompanha Bolsonaro desde a Câmara dos Deputados e é considerado do núcleo duro do presidente. Após a eleição, Sousa ganhou o cargo de chefe de gabinete. Discreto, ele também é próximo de Oliveira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.