Dida Sampaio / Estadão
Dida Sampaio / Estadão

Bolsonaro minimiza mau desempenho e capitaliza derrota do PT no Nordeste

Nas redes sociais, presidente adota discurso para atenuar derrota de seus candidatos; dos 13 prefeitos e 45 vereadores, apenas 11 tiveram sucesso nas urnas

Jussara Soares, O Estado de S.Paulo

16 de novembro de 2020 | 02h09

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro, pelo Twitter, minimizou a derrota dos candidatos apoiados por ele nestas eleições municipais e disse que a esquerda saiu fracassada das urnas. Coube ao seu filho, o vereador reeleito Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), em vídeo na rede social, explicitar o cálculo eleitoral.

“Se engana quem acha que o presidente sai derrotado dessa aí. Essa narrativa vai por água abaixo. Basta você olhar oque aconteceu no Nordeste, onde o PT perdeu praticamente todas as capitais e isso não acontecia há muito tempo. Tenha certeza que isso é trabalho do presidente e de seus ministros”, disse Carlos.

Das nove capitais do Nordeste, o PT disputou oito. Perdeu em sete e só conseguiu ir para o segundo turno em Recife (PE) com Marília Arraes. A popularidade do presidente cresceu na região desde que o governo passou a pagar o auxilio-emergencial de até R$ 600 por mês para atenuar os efeitos da pandemia da covid-19.

Bolsonaro também tem priorizado viagens ao Nordeste para capitalizar os efeitos da ajuda financeira, ou “dinheiro na veia do povo” como definiu o ministro da Economia Paulo Guedes. No giro pela região, o chefe do Executivo tem inaugurado obras de adutoras no semiárido. Nas viagens, gosta de reunir a população em torno de uma fonte d’água.

O Nordeste tem o segundo maior número de eleitores do país, perdendo apenas para o Sudeste. Tradicionalmente era um reduto do PT. Nas eleições de 2018, foi a região em que Bolsonaro teve o seu pior desempenho. Agora, o grupo do presidente aposta que o resultado desta eleição indica o avanço de Bolsonaro em 2022 na região.

Com este discurso, Bolsonaro tenta atenuar a derrota de seus candidatos. Ao longo das últimas semanas, o presidente pediu votos abertamente para 13 prefeitos e 45 vereadores. Apenas dois prefeitos foram para o segundo turno, e dois foram eleitos, enquanto sete vereadores foram eleitos (veja a lista abaixo).

Em publicação no final da noite deste domingo, 15, o presidente disse que a ajuda dele a candidatos a prefeitos se limitou a quatro transmissões ao vivo que somaram três horas. “Minha ajuda a alguns poucos candidatos a prefeito resumiu-se a 4 lives num total de 3 horas”, disse Bolsonaro. A informação não é verdadeira. No 24 de setembro, o presidente começou a citar seus candidatos, entre eles Celso Russomanno (Republicanos), que terminou a disputa pela prefeitura de São Paulo em quarto lugar.

Bolsonaro não mencionou o desempenho do filho Carlos Bolsonaro (Republicanos), que foi eleito mais uma vez vereador no Rio, mas perdeu o posto de mais votado para Tarcísio Motta, do PSOL. Diariamente, os perfis do presidente nas rede sociais postavam informações sobre Carlos, que teve 70 mil votos, 36 mil a menos que em 2014.

Ao justificar o mau desempenho de seus apadrinhados, Bolsonaro citou o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), que ajudou a eleger João Doria, atual governador, prefeito da capital em 2014. “Dois anos depois Alckmin obteve apenas 4,7% dos votos na disputa presidencial”, disse.

Na publicação, o presidente disse que “a esquerda sofreu uma histórica derrota nessas eleições, numa clara sinalização de que a onda conservadora chegou em 2018 para ficar.” Bolsonaro demostrou otimismo sobre 2022. “Para 2022 a certeza de que, nas urnas, consolidaremos nossa democracia com um sistema eleitoral aperfeiçoado. DEUS, PÁTRIA e FAMÍLIA”, encerrou.

Recentemente, o chefe do Executivo disse que se empenhará para o Congresso aprove o voto impresso como medida para evitar fraude. O presidente insinua frequentemente, sem provas, que houve irregularidades na eleição de 2018. Nas eleições municipais deste domingo, bolsonaristas inundaram as redes sociais com narrativas de fraude por causa do atraso da apuração dos votos.

Candidatos a vereador apoiados por Bolsonaro:

ELEITOS

  • Carlos Bolsonaro (Republicanos) - Rio de Janeiro    
  • Nikolas Ferreira (PRTB) - Belo Horizonte
  • Pastor Júnior (Podemos) - Recife
  • Marco Aurélio Filho (PRTB) - Recife
  • Aleluia (DEM) - Salvador
  • Paulo Chuchu (PRTB) - São Bernardo do Campo
  • Jessicão (PP) - Londrina

NÃO ELEITOS

  • Wal do Açaí (Wal Bolsonaro) (Republicanos) - Angra dos Reis
  • Sonaira Fernandes  (Republicanos) - São Paulo
  • Clau de Luca  (PRTB) - São Paulo
  • Deilson Bolsonaro (Republicanos) - Boa Vista
  • Cely Duarte (Podemos) - Fortaleza
  • Alex Ceará (PSC) - Fortaleza
  • Capitão Araújo Lima (PP) - Aracaju
  • Rubenita Lessa (PSL) - Teresina
  • Marília Ferraz (PRTB) - Recife
  • Osvaldo Neto (PSC) - Recife
  • Coronel Meira (PSC) - Recife
  • Nelson Monteiro (PSC) - Recife
  • Cabo Silveira (Patriota) - Campo Grande
  • Inspetor Alberto (PROS) - Fortaleza
  • Michele Assis (Patriota) - João Pessoa
  • Alisson Novaes (Patriota) - João Pessoa
  • Nayana Pontes (DEM) - Campina Grande
  • Coronel Márcio Saraiva (DEM) - Campina Grande
  • Cabo Emanuel Diniz (DEM) - Campina Grande
  • Alessandro (PRTB) - Olinda
  • Paula Milani (PMB) - Curitiba
  • Coronel Kelson (Patriota) - João Pessoa
  • Gilvan (DEM) - Campina Grande
  • Thiago (DEM) - Campina Grande
  • Solange Lopes (Patriota) - Dourados
  • Luiz Costa (Solidariedade) - Queimados
  • Marcelo Conrado (PRTB) - Goiânia
  • Vigilante Assumar (Republicanos) - Goiânia
  • Rodolfo Souza (PSL) - Goiânia
  • Devanir Novellino (PRTB) - Cidade Ocidental
  • Taciana Muniz (Patriota) - João Pessoa
  • Jeová Junior (PSL) - Sobral
  • Fábio Ferreira (Republicanos) - Nova Iguaçu
  • Aderbal Poroca (DEM) - Paulista
  • Edilane Mansueto (DEM) - Campo Grande
  • Guilherme Paz (DEM) - Garanhuns
  • Adilson Bolsonaro (PSD) - Santa Cruz do Capibaribe
  • Abimael Santos (PP) - Toritama

Candidatos a prefeito apoiados por Bolsonaro

SEGUNDO TURNO

  • Marcelo Crivella (Republicanos) - Rio de Janeiro
  • Capitão Wagner (PROS) - Fortaleza

ELEITOS

  • Gustavo Nunes (PSL) - Ipatinga
  • Mão Santa (DEM) - Parnaiba

NÃO ELEITOS

  • Celson Russomanno (Republicanos) - São Paulo
  • Bruno Engler (PRTB) - Belo Horizonte
  • Delegada Patrícia (Podemos) - Recife
  • Coronel Menezes (Patriota) - Manaus
  • Oscar Rodrigues (MDB) - Sobral
  • Júlia Zanatta (PL) - Criciúma
  • Doutor Serginho (Republicanos) - Cabo Frio
  • Morgana Macena (MDB) - Cabedelo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.