Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

AO VIVO

Eleições: 2020: notícias, resultados e apuração do 2° turno

Bolsonaro ironiza levantamento da Fenaj sobre ataques à imprensa

Presidente reage à pesquisa que o aponta como responsável por 58% das hostilidades a veículos e jornalistas

Redação, O Estado de S. Paulo

19 de janeiro de 2020 | 21h38

O presidente Jair Bolsonaro ironizou um levantamento da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) sobre ataques à imprensa. O relatório da entidade, divulgado na quinta-feira passada, mostra que 208 ataques a veículos de comunicação e jornalistas foram registrados no ano passado. Bolsonaro foi responsável por 121 desses casos, segundo a Fenaj, ou 58% do total.

Pelas redes sociais, o presidente reagiu com ironia. “HAHAHAHAHAHAHA. KKKKKKKKKKKKKKK.” O comentário foi publicado na conta oficial do Facebook e do Twitter do chefe do Planalto.

Bolsonaro respondeu ainda a um seguidor que perguntou como o levantamento chegou ao índice. “Pegaram o QI médio da galera da imprensa. Deu 58”, escreveu o presidente. Nos últimos dias, ele passou a responder internautas diretamente em comentários feitos nas publicações em sua página oficial.

Conforme o relatório da Fenaj, a maior parte dos ataques de Bolsonaro foi contabilizada na categoria “descredibilização da imprensa”. “Em 2019, a modalidade tornou-se a principal forma de ameaça à liberdade de imprensa no Brasil e foi incluída no relatório diante da institucionalização da prática”, disse a Fenaj.

Presidente evita comentar recriação do Ministério da Cultura

Bolsonaro evitou ontem comentar uma possível recriação do Ministério da Cultura para abrigar a atriz Regina Duarte no governo federal. Questionado por jornalistas sobre essa possibilidade no momento em que tirava fotos com simpatizantes na Praça dos Três Poderes, ele disse: “Vou ficar te devendo”. Bolsonaro e Regina devem se encontrar nesta segunda-feira, 19, no Rio. A atriz foi convidada a assumir a Secretaria Especial de Cultura no lugar de Roberto Alvim, demitido do cargo após protagonizar um vídeo com referências ao nazismo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.