Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
REUTERS/Adriano Machado
REUTERS/Adriano Machado

Bolsonaro insulta jornalista após ser questionado sobre Covaxin

Presidente volta a se irritar e afirma que repórter deveria voltar ao ‘jardim de infância’: ‘Pare de fazer perguntas idiotas’; compra da vacina vira alvo de CPI

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2021 | 18h42

Correções: 25/06/2021 | 21h04

SOROCABA – O presidente Jair Bolsonaro voltou a demonstrar irritação e insultou uma jornalista durante a inauguração de um centro de tecnologia nesta sexta-feira, 25, em Sorocaba, após ser questionado sobre a compra da vacina Covaxin.

“Para de fazer perguntas idiotas, pelo amor de Deus”, disse a uma repórter da rádio CBN. “Foi comprada uma ampola sequer da vacina? Responda você, responda! Foi comprada? Não consumou o ato. Se é para você me julgar pelo que outros pensam, imagina o que posso pensar de você?”, disse à repórter.

O contrato de compra de 20 milhões de doses da Covaxin, no valor de R$ 1,6 bilhão, é alvo de investigação do Ministério Público Federal. O preço unitário da dose foi fechado em US$ 15, quando, seis meses antes, havia sido estimado em US$ 1,34. O negócio também é alvo CPI da Covid.

Segundo o presidente, o contrato passaria pela Anvisa e ainda seria revisado. “Vocês querem imputar em mim um crime de corrupção em que não foi gasto um centavo? Dá para vocês me elogiarem por dois anos e meio sem corrupção?”, disse, citando supostos atos de corrupção em governos do PT.

Quando a mesma jornalista questionou mais uma vez sobre a vacina, Bolsonaro disse que ela tinha de voltar para a faculdade. “Faculdade não, volta para o ensino primário”, disse. Mais adiante, ele voltou a se exaltar com a jornalista, que o questionou sobre a negociação para a compra da vacina. “Você de novo? Volte para o jardim de infância, você. Foi empenhado o valor em fevereiro. Onde é que tem vacina para ser comprada aqui? Deixa de fazer pergunta idiota pelo amor de Deus”, afirmou. 

Em 21 minutos de entrevista, sem dar respostas objetivas às perguntas dos jornalistas, o presidente voltou a defender o tratamento precoce contra a covid-19, criticou a CPI, governadores e prefeitos que adotaram medidas de isolamento social na pandemia, e desdenhou das pesquisas que apontam queda em sua popularidade.

Na segunda-feira, 21, em Guaratinguetá, o presidente já havia destratado uma jornalista durante entrevista, após ter participado de uma solenidade de formatura de sargentos da Escola de Especialistas da Aeronáutica. Ao ser questionado por que não usava máscara, Bolsonaro tirou a proteção facial e começou a gritar. “Estou sem máscara em Guaratinguetá. Está feliz agora? Você está feliz Agora?” Mostrando descontrole, ele disse ser alvo de “canalhas” e pediu “pergunta decente”.

Correções
25/06/2021 | 21h04

Diferentemente do que informou a primeira versão deste texto, a repórter insultada pelo presidente Jair Bolsonaro é da rádio CBN. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.