Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Bolsonaro grava vídeo em apoio a Mendonça antes de sabatina na CCJ

Gravação é distribuída apenas a lideranças evangélicas pelo WhatsApp

Eduardo Gayer, O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2021 | 20h53

BRASÍLIA - Fora da agenda oficial, o presidente Jair Bolsonaro recebeu nesta segunda-feira seu indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF), André Mendonça, e gravou um vídeo em apoio ao ex-ministro da Justiça, que será sabatinado na quarta-feira pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. A gravação, distribuída a lideranças evangélicas pelo WhatsApp, no entanto, não foi publicada nas redes sociais do presidente, fato que chamou a atenção de religiosos.

“A todos os brasileiros, chegou a hora. Em menos de 48 horas, se Deus quiser, o nome do André Mendonça será sabatinado no Senado. A gente espera que seja aprovado e tenhamos, então, um representante de todos nós dentro do Supremo Tribunal Federal”, diz Bolsonaro, no vídeo. “A gente espera que senadores aprovem o nome dele. Obviamente, será sabatinado, mas temos o entendimento de que ele está habilitado a exercer essa função. Desejo boa sorte ao André”, acrescenta. Ao final do vídeo, Mendonça agradece ao presidente.

A gravação foi feita nesta segunda-feira após um encontro dos dois no Palácio do Planalto. Além deles, estiveram presentes o ex-senador Magno Malta e o deputado federal Cezinha de Madureira (PSD-SP), representante da bancada evangélica.

Sob a condição de anonimato, uma importante liderança evangélica com trânsito no Palácio do Planalto disse ao Broadcast Político que os religiosos estão “procurando entender” o porquê o presidente não publicou o vídeo em suas redes sociais.

“Vamos ver se publicam amanhã. Acho que quem controla as contas do pai não é fã do André Mendonça”, afirmou, em uma referência ao filho “zero dois” do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), que tem acesso às contas do chefe do Executivo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.