Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Bolsonaro faz aparição no Alvorada, mas não sai para cumprimentar apoiadores

'Cercadinho' onde presidente interage com populares amanheceu fechado pelo segundo dia seguido

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2020 | 18h42

BRASÍLIA - No primeiro final de semana após a demissão de Sergio Moro do Ministério da Justiça, o presidente Jair Bolsonaro optou na tarde deste domingo (26) por uma aparição discreta no Palácio da Alvorada, sem ir ao encontro de seus apoiadores como de costume. 

Vestido com camiseta amarela e bermuda, o presidente apareceu na entrada do prédio, mas não chegou a deixar o Palácio. Ele foi avistado por pessoas que estavam em frente ao espelho d'água que fica junto às bandeiras e divide a rua do extenso gramado que antecede o acesso ao Alvorada.

Bolsonaro não saiu para cumprimentar apoiadores. Após a demissão de Sérgio Moro do Ministério da Justiça e Segurança Pública na sexta-feira (24), o "cercadinho" do Palácio da Alvorada, onde os populares ficam à espera de uma aparição do presidente, amanheceu fechado pelo segundo dia seguido. O espaço normalmente fica aberto para que os apoiadores se posicionem à medida que eles cheguem ao local. Diante disso, os visitantes ficaram em frente ao espelho d'água.

O presidente aproveitou a tarde de domingo para "brincar" com um drone, que sobrevoou a área da residência oficial da Presidência da República. Sem agenda oficial, ele recebeu o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e o advogado Frederick Wassef, que representa um dos filhos do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Mais cedo, Bolsonaro recebeu Flávio. Em Brasília, um grupo de apoiadores realizou uma manifestação em apoio a Bolsonaro e com ataques a Moro na Esplanada dos Ministérios. Alguns manifestantes foram ao Alvorada à espera do presidente, que ainda permanecia em casa até as 17 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.