Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

Bolsonaro se encontra com Onyx e encerra entrevista ao ser questionado sobre ministro

'Já que deturpou a conversa, acabou a entrevista', disse o presidente ao ser perguntado sobre ministro da Casa Civil

Mateus Vargas e Emilly Behnke, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2020 | 18h21

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro encerrou uma entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, 31, em frente ao Palácio da Alvorada, ao ser questionado sobre reunião que havia feito com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM). "Já que deturpou a conversa, acabou a entrevista", disse Bolsonaro a jornalistas. 

Bolsonaro confirmou que esteve na tarde desta sexta-feira, 31, com o Onyx no Palácio da Alvorada, mas não detalhou o que foi discutido. "(O ministro) Estava aqui agora há pouco", disse Bolsonaro. 

No centro de crise no ministério da Casa Civil, Onyx interrompeu férias nos Estados Unidos e antecipou retorno a Brasília para conversar com Bolsonaro. Auxiliares do presidente dizem que ele estuda uma saída "honrosa" a Onyx, como nomeá-lo ministro da Educação ou torná-lo líder no governo, caso ele retorne ao mandato de deputado federal. 

A crise de Onyx na Casa Civil ganhou corpo durante a semana. Após irritar Bolsonaro por ter feito um "voo particular" em aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), Vicente Santino, "ex-número 2" do ministro, foi demitido, contratado, e demitido novamente da Casa Civil em uma sucessão de recuos do governo que expôs Bolsonaro a constrangimentos nas redes sociais. 

Em medida lida no governo como retaliação, o presidente esvaziou ainda mais o ministério de Onyx e transferiu ao Ministério da Economia o Programa de Parcerias de Investimento (PPI).

Assessores do Planalto chegaram a afirmar que Bolsonaro não receberia Onyx nesta sexta-feira, 31, mas o ministro da Casa Civil foi ao Palácio da Alvorada à tarde. 

Ao encerrar a entrevista coletiva, Bolsonaro se dirigiu a fãs que o esperavam para selfies. O presidente olhou para câmera de seu auxiliar que fazia uma transmissão nas redes sociais e disse: "Entrevista tratava exclusivamente da questão do coronavírus, quando começa outras perguntas a gente sai fora porque o que queremos é solução ao Brasil, não problema".

Em repouso por uma cirurgia de vasectomia feita na noite de quinta-feira, 30, Bolsonaro foi até a entrada do Palácio da Alvorada na tarde desta sexta, 30, para falar com a imprensa sobre medidas tomadas pelo governo contra o avanço no coronavírus. 

Onyx, que já havia deixado o Alvorada, não acompanhou Bolsonaro na coletiva. Estavam ao lado do presidente os ministros Luiz Henrique Mandetta (Saúde), Fernando Azevedo e Silva (Defesa), Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e o presidente substituto da Anvisa, Antonio Barra Torres. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.