Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Bolsonaro é multado por andar sem máscara em motociata em SP

Governo João Doria autuou presidente, seu filho Eduardo Bolsonaro e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2021 | 12h21
Atualizado 14 de junho de 2021 | 10h36

O governo João Doria (PSDB) multou o presidente Jair Bolsonaro, um de seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, por não usarem máscara durante ato com motoqueiros em São Paulo. O valor da autuação é de R$ 552,71, para cada.

“O documento endereçado às três autoridades pontua a necessidade da manutenção das medidas preventivas já conhecidas e preconizadas pelas autoridades sanitárias internacionais, como uso de máscara e distanciamento”, diz a nota do governo de São Paulo.

A autuação destaca a importância do uso de máscaras para frear a disseminação da covid-19. “O uso (...) é amplamente preconizado pela comunidade científica mundial internacional e o governo do Estado de São Paulo tornou obrigatória a sua utilização em seu território”, diz a justificativa da multa. “O Estado de São Paulo conta atualmente com mais de 3,4 milhões de casos e mais de 117 mil óbitos, com uma taxa de ocupação de leitos de UTI de 84,1%”.

Veja o documento abaixo.

Adversário de Bolsonaro, Doria já havia dito na quarta-feira, no Palácio dos Bandeirantes, que, caso o presidente não usasse a proteção durante a motociata, seria multado por desrespeito às normas sanitárias. “Ele será multado como qualquer outro cidadão que não usar máscara”, disse. Nesta sexta-feira, 11, Bolsonaro respondeu questionando se Doria era o “doninho” de São Paulo.

No dia 21 de maio, o presidente foi multado pelo governo do Maranhão por descumprir as medidas sanitárias para enfrentamento da pandemia em vigor no Estado, comandado por Flávio Dino (PCdoB), uma das principais lideranças de oposição ao bolsonarismo. 

O auto de infração citou como irregularidades a falta do uso de máscara de proteção facial e a promoção de evento com aglomeração em Açailândia, município localizado a 526 quilômetros da capital São Luís, onde o presidente esteve para entrega simbólica de títulos de terra.

Além de Bolsonaro, Eduardo e Tarcísio, foram multados a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, o deputado Coronel Tadeu e o ministro Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia, por não terem usado máscara na manifestação.

Ato reúne milhares; Bolsonaro anda com capacete irregular

Milhares de motociclistas fazem manifestação em apoio ao presidente na manhã deste sábado. A concentração de apoiadores começou na zona norte da Capital e seguiu pela Marginal do Tietê. O destino é o Parque do Ibirapuera.

Durante o passeio de moto, Bolsonaro utiliza um capacete do tipo coquinho, que não protege o maxilar nem possui viseira. O uso desse equipamento é proibido pela Resolução 453/2013 do Conselho Nacional de Trânsito. É considerado uma infração grave, sujeita a multa.  Ao sair para a motociata, Bolsonaro agradeceu o convite dos manifestantes e disse “acelera para Cristo”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.