MARYANNA OLIVEIRA/AGÊNCIA CÂMARA
MARYANNA OLIVEIRA/AGÊNCIA CÂMARA

Maia diz que Bolsonaro é 'covarde' e tem 'culpa' por 200 mil mortes causadas pela covid-19

Parlamentar atacou o presidente nas redes sociais, ao comentar notícia que afirma que o presidente credita a Pazuello o atraso nas vacinas e a queda da sua popularidade

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

09 de janeiro de 2021 | 16h39

BRASÍLIA - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chamou o presidente Jair Bolsonaro de "covarde" em uma publicação no Twitter na tarde deste sábado, 9. Minutos depois, Maia disse que Bolsonaro tem "culpa" pelas 200 mil mortes provocadas pela covid-19.

Primeiro, o parlamentar compartilhou uma nota da coluna Radar, da revista Veja, que aponta suposta insatisfação do chefe do Planalto com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

"Bolsonaro é covarde", escreveu Maia ao compartilhar a notícia com o título "Bolsonaro culpa Pazuello por perda de popularidade e atraso da vacina". A insatisfação, de acordo com a coluna da revista, teria sido manifestada em reunião ministerial convocada pelo Planalto para discutir a vacinação contra a covid-19. A coluna diz ainda que a situação de Pazuello diante do presidente melhorou um pouco depois que o ministro resolveu atacar a imprensa em uma entrevista coletiva nesta semana, atitude aprovada pelo chefe. Procurado, o Planalto não comentou a declaração do presidente da Câmara.

Após a pressão para o Brasil começar a vacinação, o Ministério da Saúde preparou um plano para aplicar as doses a partir deste mês. Na quinta-feira, 7, a pasta anunciou um contrato para comprar 100 milhões de doses da Coronavac, vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac e que será distribuída no Brasil pelo Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo.

Na sequência, o presidente da Câmara fez mais uma publicação sobre o conoravírus. "Bolsonaro: 200 mil vidas perdidas até agora. Você tem culpa." Nesta quinta-feira, 7, o Brasil atingiu a marca de 200 mil mortes pela covid-19. Bolsonaro disse, naquele dia, que lamenta as vítimas da pandemia, mas que "a vida continua"

Maia disputa com Bolsonaro o controle da Câmara dos Deputados a partir de fevereiro. Mais cedo, o parlamentar intensificou a reação após o deputado Arthur Lira (Progressistas-AL), candidato à presidência da Casa, ter feito um comentário sobre suposta pressão para influenciar o resultado. Maia afirmou que Lira, aliado de Bolsonaro, usa as mesmas práticas do "chefe" para dirigir ataques contra adversários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.